Elimine de uma vez a palavra “Birra” do vocabulário?

Todas as vezes que uma conversa sobre filhos surge, ela acaba, quase que 100% das vezes, no tema “birra”. Resisto muito em entrar no assunto já que ele poderia durar uma vida inteira.

Não gosto da palavra, não gosto do contexto em que ela é usada e considero o tema muito superficial, quando estamos falando sobre desenvolvimento das crianças.

Além disso, o que mais me desagrada é como a frase “pare de fazer birra” joga para cima de um sistema imaturo toda uma responsabilidade que ele, simplesmente, não tem condições de assumir.

Vale a pena dar uma lida nos posts anteriores que falam sobre cérebro, identificação de sentimentos, habilidades de gerenciamento de emoções.

Quando um sentimento aparece, ele gera uma emoção. O que as pessoas comumente chamam de “birra” é exatamente a incapacidade desta criança gerenciar as emoções que ela está experimentando naquele momento.

É possível construir com esta criança o caminho para lidar com isso.

Uma criança age mal quando se sente mal.

Qual é o papel do adulto nesse processo? Você topa fazer esse exercício? Vamos apagar a palavra “birra” do nosso vocabulário?



Sobre Kate Amaral - @1manasoficial

 

Kate Amaral é educadora certificada em Disciplina Positiva. Sua jornada teve início com a maternidade, e todos os aprendizados que a acompanham. Antes dessa experiência, Kate atuou com RH em diversas companhias multinacionais. Hoje, dedica-se exclusivamente ao desenvolvimento de pessoas, famílias e empresas na Disciplina Positiva.